Páginas Vs. Frames // A Culpa é das Estrelas

Oi gente!
Eu sei que hoje ainda não é dia 17, quando normalmente essa coluna vai ao ar, mas eu precisei me adiantar porque eu não estou conseguindo aguentar esperar até lá para falar sobre esse filme com vocês! Siiim, eu assisti ao filme A Culpa é das Estrelas na sexta-feira, um dia após a estreia e me emocionei bastante. O filme está lindo!

Eu não vou falar muito sobre as minhas impressões do livro, porque eu já escrevi um texto sobre ele há algum tempo e vou deixar linkado aqui > (link), também acredito que a essa altura do campeonato todos já saibam mais ou menos sobre o que trata o livro, mas não custa lembrar, né? A Culpa é das Estrelas conta a história de Hazel, uma menina de 16 anos que sofre de câncer terminal. Como a maior parte das pessoas que sofrem desse mal, ela acha que a sua vida se dá em função disso. Até o dia em que ela conhece Augustus. Gus está em remissão há mais de um ano, seu câncer aparentemente foi eliminado. Resumindo, é um romance adolescente permeado por uma história trágica de câncer.

Nossa! Só isso? Por que tanto estardalhaço, então? Resumindo deploravelmente, é isso ai. No meu caso, o livro me tocou demais por um motivo bem pessoal. Eu li logo após perder um familiar em decorrência do câncer e tudo o que eu sentia ao ler o livro era injustiça! Depois de ler tantas resenhas e comentários sobre o livro, eu sabia que algo ruim estava por vir, então, conforme eu ia lendo, só pensava na injustiça que era aquele romance todo e a fofura dos personagens.

Já vi inúmeras pessoas falando mal do livro e dizendo que nem é tudo isso. Eu o defendo e recomendo, pois acredito que não se trata de um drama consistente a altura de um clássico literário. Não, não é isso. O livro é um romance YA, leve e gostoso de ler. Pra mim foi muito bem escrito e é impossível não se emocionar. Ele tem quotes ótimos e deixa uma mensagem bem bacana. Pra mim funcionou e cumpriu sua função!

Vs.

Falando um pouco da minha experiência com o filme, então... Eu chorei!! Chorei de soluçar. haha Gente, não tem como não se emocionar!! O filme ficou muito bonito, bem feito e é uma ótima adaptação. Não senti falta de nenhuma cena, achei o filme bem completinho. :)

Apesar de a Shailene Woodley não parecer com a Hazel que eu imaginei, ela me conquistou. Eu gosto muito da atriz e a interpretação dela foi bem legal! Na cena da casa da Anne Frank ela foi ótima, quase senti falta de ar junto com ela. haha

O Gus também foi perfeito. O Ansel Elgort conseguiu trazer pro filme o lado cômico e sarcástico do personagem, sem deixar a emoção de lado. A cena em que ele passa mal no carro foi uma das mais emocionantes pra mim. Ali ele estava perfeito. Do mesmo modo, achei o Isaac ótimo!! Ele foi bem visível no filme, mais do que eu esperava.

Enfim, o filme está 10! Muito muito bom mesmo. Quem gosta do livro, como eu, vai amar o filme e quem não gostou do livro, pode ser que se apaixone pelo filme. Se você ainda não viu, corre pra ver, porque ninguém vai sair decepcionado do cinema! Os produtores/roteiristas/diretores conseguiram passar toda a essência da história criada pelo John Green para a tela.

Por fim e uma coisa consideração meio nada a ver, que talvez só eu tenha percebido, é como esse filme é azul! Sério gente... quem ainda não assistiu, tenta reparar nisso. Eu fiquei lembrando da capa do livro o tempo todo. E isso não foi algo ruim, não. Achei legal esse recurso, se é que ele é real mesmo!

Por hoje é só, até mais!
Comentários
7 Comentários

7 comentários :

  1. Ótimo post!!
    Não tinha parado para pensar por esse lado, realmente é tudo muito injusto isso de reencontrar a vontade de viver justamente quando a vida já está acabando. Mas (filosofando) a vida não é justa mesmo, né? hahahaha
    Adorei o blog, seguindo ;))

    PS. Você foi a única pessoa que também vi comentando sobre o azul no filme, eu já estava meio "será que eu vi coisas?" hahah

    Abraços
    Adan, mundosnaestante.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vimos coisas, pelo menos não estamos sozinhos! haha

      Excluir
  2. Oi Petra, tudo bem?

    Como você, concordo que o livro não é um clássico da literatura mas é sim merecido todo esse destaque. As pessoas estarem lendo - seja John Green ou Machado de Assis - é um avanço grande e de se aplaudir de pé. Não é motivo para vaias e comentários do tipo "modinha, falso leitor, blá blá e blá". Eu realmente gostei muito do livro.
    Sobre o filme: QUE COISA PERFEITA É ESSA?! hahahaha Uma das melhores adaptações pra mim. Não senti, também, falta de nenhuma parte do livro. Foi tudo na medida. Só não chorei porque tinha feito uma aposta com um amigo hahaha Mas sinceramente? Eu veria esse filme seguidamente, de tão perfeito.

    Beijos
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Carol! Depois de escrever o post me deu uma vontade gigante de ir ao cinema outra vez. :/ Acho que A Culpa é das Estrelas vai ser mais um daqueles filmes que eu vou assistir um milhão de vezes!

      Excluir
  3. Oooi Petra, eu amei esse filme.
    Foi o que eu disse no meu blog, apesar do tema ter sido usado em muitos filmes, "A Culpa é das estrelas" conseguiu ser singular.
    Eu simplesmente amei, adorei, apaixonei. Ele se tornou um dos meus favoritos :D

    Beeeeijos. Mar Paschoal
    www.LaGarota.com.br

    ResponderExcluir
  4. Também já assisti ao filme e gostei taaanto *---* Ficou uma adaptação MUITO boa! O Ansel está perfeito, assim como eu sabia que ele estaria, mas, contraditoriamente, não achei a cena do carro tão boa assim. Não sei, achei que faltou alguma coisa... Bom, só assisti uma vez, talvez da próxima tenha outra impressão HAHA Mas o filme é lindolindolindo.

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Petra! Caraaaa o que falar desse livro e desse filme. Achei a adaptação sensacional, a historia em sia já é um misto agridoce mas acredito que o filme não deixou nada a desejar. é um film tocante que nos confronta com a realidade.

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir

 
Voltar ao topo